Há 50 anos, a tv chegava ao MS

Aquino Corrêa (*)

1ª logo da Tv Morena
1ª logo da Tv Morena

Com o advento da morte da grande atriz Yoná Magalhães, ocorrida esta semana (20/10), comecei a relembrar alguns fatos históricos, relativos à chegada da televisão no antigo Mato Grosso. Fruto do pioneirismo e da visão empresarial dos irmãos Eduardo, Jorge, João e Ueze Zahran, era inaugurada em Campo Grande, em 25 de dezembro de 1965, a TV Morena. Vale lembrar que Campo Grande foi a segunda cidade do interior do Brasil, exceto as capitais, a ter uma retransmissora de televisão (a primeira fora Bauru-SP), antes mesmo da então capital, Cuiabá, cuja primeira emissora fora implantada, também pelos irmãos Zahran, em 1967 (TV Centro América).

Nos primeiros anos, lembro-me que a TV Morena tinha uma programação diária de apenas seis horas: começava por volta das 18 horas e terminava à meia-noite. A programação, em vídeo-tape, era uma miscelânea de programas das emissoras de São Paulo (TVs Record, Excelsior e Tupi). Ainda não havia transmissão em rede nacional, que só começaria com a TV Globo, do Rio de Janeiro, a partir de 1º de setembro de 1969, com a introdução do Jornal Nacional – mas apenas para algumas capitais do país.

Lembro também que alguns grandes sucessos da década de 1960, como as telenovelas “O Direito de Nascer” (1964/65) e “O Sheik de Agadir” (1966/67), não foram vistas em Mato Grosso na época, pois foram apresentadas pela TV Rio e TV Globo, respectivamente, ambas do Rio de Janeiro. Assim, grandes atores e atrizes da época, como a própria Yoná Magalhães e o galã Amilton Fernandes, eram praticamente desconhecidos pelo público sul-mato-grossense.

Aliás, a novela “O Direito de Nascer” fez tanto sucesso que, mesmo Mato Grosso não tendo ainda transmissão de sinal de televisão, as pessoas acompanhavam o enredo da telenovela pelas páginas das revistas “O Cruziero”, “Manchete” e “Fatos & Fotos”, entre outras. Foi também, pelo que me consta, a primeira telenovela a lançar moda, já que o figurino de uma das personagens, a pópria “Mamãe Dolores”, interpretada pela atriz Isaura Bruno, virou nome de um tecido muito estampado e colorido. Tal tecido, usado na confecção de roupas femininas, era disputado nas lojas de tecidos na época, que se desdobravam para atender a clientela, sempre ávida por novidades vindas dos grandes centros (coincidência com os dias de hoje, não?).

Primeiro prédio TV Morena
Primeiro prédio TV Morena m Campo Grande

Para assistir televisão naquela época, então, era um verdadeiro desafio em Campo Grande, quiçá em todo o Brasil. Eram poucos os proprietários de um aparelho receptor. Então, quem quisesse assistir aos seus programas favoritos, tinha que procurar um vizinho próximo, tornando-se um “televizinho”, como se dizia na época. E os pobres proprietários tinham que suportar aquele monte de pessoas em suas casas até tarde da noite, sem nenhuma privacidade ou tranquilidade – e sem direito a reclamar! Afinal, eram todos vizinhos e amigos da mesma rua ou bairro…

Como dito acima, em 1967 o sinal de televisão chegou a Cuiabá e, em 1970, chegava a Corumbá, com a inauguração da TV Cidade Branca (hoje TV Morena Corumbá), também do mesmo grupo empresarial. A partir de meados de 1975, a TV Morena e suas congêneres passaram a retransmitir o sinal da Rede Globo de Televisão, que já fazia o maior sucesso em todo o país. Tanto que, quando a TV Centro América, de Cuiabá, passou a ser repetidora da Globo, a novela de maior sucesso na época, “Gabriela”, teve que ser exibida naquele canal, em horário alternativo, já que o sistema de grade televisiva já era adotado pela Rede Globo de Televisão.

Falando assim, parece que estamos falando de coisas de outro mundo, do século passado. Bem, do século passado, sim, mas foi há apenas 50 anos! Isso pode parecer uma eternidade para quem é mais jovem, mas pra quem já passou dos cinquenta anos, até parece que foi ontem! Ou será que estamos ficando mesmo velhos demais?

Aquino Correia

 

 

 

(*) Aquino Corrêa, 56 anos, é pós-graduado (MBA) em Administração, articulista, escritor e Fiscal de Tributos Estaduais (aposentado) da SEFAZ/MT. Foi candidato a senador da República em Mato Grosso, em 2006.

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *